26 de ago de 2010

DEBATE 2010


Aconteceu na segunda-feira,23.08.2010, um debate entre os presidenciáveis para a eleição de 2010, no Sistema de Inspiração Católico de Comunicação, as Tv´s Aparecida e Canção Nova, mais rádios AM e FM, para o Brasil e mundo.Diante deste debate, cada um de nós pode tirar as suas conclusões para votar, contigo vale a pena frisar que a Sra. Dilma não participou do Debate, assim não se deixou conhecer, ignorou todos os católicos pois a sua agenda estava cheia!

Dilma não pode comparecer a debates em canais católicos, é claro, pois teria de confirmar que é favorável a tudo que está fora do Plano de Deus:

1 - aborto;
2 - legalização da "profissão" de prostituta;
3 - destruição da instituição FAMÍLIA, criada por Deus-Pai e confirmada por Deus-Filho, através do "casamento" de homem com homem e de mulher com mulher, mais adoção de crianças;
4 - consolidação da atual perseguição aos fazendeiros;
5 - "vingança" contra os que impediram a vitória da Revolução Comunista de 64, na qual ela era responsável por arranjar dinheiro roubando bancos e residências (lembrando que o Terrorismo dos Comunistas não foi contra uma ditadura pré-instalada. Eles começaram uma guerra para implantação de uma DITADURA PERENE; e, em Legítima Defesa da Democracia, do Cristianismo, houve a Contra-Revolução de 31 de março.)
6 - E assim por diante...

Contudo, no terceiro bloco, Plínio disse ter descoberto que Dilma, durante o debate, atualizava o perfil no Twitter e, depois, estava num show da banda Pato Fu. Serra acusou a petista de ter uma "atitude de manipulação da opinião pública e do processo eleitoral" ao não se mostrar. Marina não mencionou Dilma durante o debate, mas, após o fim do programa, se disse "desrespeitada" pela ausência dela, que, para a candidata do PV, deixou de ir ao evento por "medo".

Por fim, a candidata do PT à Presidência divulgou uma “Carta aberta aos povos de Deus” transferindo temas polêmicos para os parlamentares. A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, divulgou uma “Carta aberta aos povos de Deus” na qual empurra para o Congresso Nacional a responsabilidade por temas polêmicos como aborto e união civil de pessoas do mesmo sexo.

“Lembro também minha expectativa de que cabe ao Congresso Nacional a função básica de encontrar o ponto de equilíbrio nas posições que envolvem valores éticos fundamentais, muitas vezes contraditórios, como aborto, formação familiar, uniões estáveis e outros temas relevantes, tanto para as minorias como para toda a sociedade brasileira”, diz a carta.

Dilma já disse em entrevistas ser favorável à união civil entre pessoas do mesmo sexo, uma bandeira do PT. Sobre aborto, ela já disse se tratar de uma questão de saúde pública e, depois, que vai apenas aplicar as leis já existentes.

Na carta aberta, em que a candidata se dirige aos “irmãos e irmãs brasileiros”, Dilma assume o compromisso com o evangelho, diz que vários programas do governo como Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida estão de acordo com a moral cristã e, principalmente, faz a defesa dos valores da família. “Isto nos leva ao compromisso de fazer da família o foco principal do nosso governo”, diz a candidata.

Além disso, Dilma pede a “oração e o voto” dos cristãos.

Segundo integrantes da coordenação da campanha petista, o objetivo da carta é reduzir a rejeição de setores conservadores da Igreja Católica ao nome de Dilma. Os responsáveis pela aproximação são o chefe de gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho, e o vereador Gabriel Chalita (PSB), candidato a deputado ligado à comunidade Canção Nova.

Dilma já foi alvo de ataques como os do bispo de Guarulhos, dom Luiz Gonzaga Bergonzini, que divulgou um texto – reproduzido no site da CNBB - orientando seus fiéis a boicotarem a petista devido às posições do partido sobre aborto e união homossexual.

Recentemente, o arcebisto de São Paulo, a maior arquidiocese do Brasil, dom Odilo Scherer, publicou um texto –também reproduzido pela CNBB—no qual sugere a criação de um Ministério da Família e ataca os defensores do aborto.

No texto, ele cita frases de Dilma e Marina Silva (PV) sobre o tema, sem esclarecer a autoria. Dom Odilo foi procurado na semana passada para comentar o assunto mas não respondeu.

Nesta terça-feira, a candidata do PT foi a única convidada a não comparecer ao debate de presidenciáveis promovido pela TV Canção Nova e Rede Aparecida, talves porque não queria ser questionada nos assuntos polêmicos ou talves porque se achava melhor que os demais por ter sido uma terrorista.

Fonte:BlogNSMedjugorje e Pascom Comunitária

Nenhum comentário:

Postar um comentário