11 de nov de 2011

Falso Padre é preso em São Luis-MA


Investigadores da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), coordenados pelo delegado Breno Galdino, capturaram por volta das 19h de ontem Cristiano Santos da Silva, de 27 anos, acusado de se passar por padre sem nunca ter, sequer, freqüentado um seminário. A prisão aconteceu quando Cristiano da Silva se preparava para rezar uma missa na Igreja de São João Batista, no Bairro do Recanto dos Vinhais ou “Vinhais Velho”.

De acordo com o delegado Breno Galdino, Cristiano da Silva é natural da cidade de Castanhal, no Estado do Pará, e estava em São Luís fazia sete meses. No município paraense, como disse Breno Galdino, ele teria sido criado por padres e trabalhado nas dioceses, onde aprendeu a fazer os trabalhos dos sacerdotes.

Em conversa com o delegado, o falso padre disse que, quando chegou a São Luís, primeiro trabalhou como vendedor em uma loja. E que, em seguida, se aproximou da igreja e, como tinha a experiência adquirida em Castanhal, decidiu se passar por padre. “Ele contou que as pessoas acreditaram e que, como nunca pediram seus documentos, continuou com o golpe”, afirmou Breno Galdino.

O delegado informou que os freqüentadores da igreja disseram ter desconfiado de que Cristiano da Silva não era padre porque ele falava coisas que não eram relacionadas à teologia e afirmava ser formado em Medicina e História, além de ser professor. “Por ser muito jovem, as pessoas acharam que era muito cedo para ele ter tanta formação”, ressaltou Breno.

Diante dessa desconfiança, Breno Galdino contou que a Arquidiocese de São Luís passou a fazer levantamentos sobre a vida de Cristiano da Silva e buscou esclarecimentos nas igrejas de Castanhal. Lá, foi constatado que ele apenas possuía a experiência passada pelos padres que os criaram, mas que não havia freqüentado seminários para ser ordenado sacerdote. Cristiano da Silva, como informou Breno Galdino, reside em uma cobertura do Edifício Riviera, no bairro do São Francisco.

Fonte: Pascom Comunitária

Nenhum comentário:

Postar um comentário